Os que também amam poesia...

segunda-feira, 18 de abril de 2011

SILÊNCIO



Um grito de silêncio
sussurra dentro de mim...

minha rua não é pavimentada
é de terra
desesperada de sede
lágrimas de poeira...

minha fome é em preto e branco
vazio sem fundo
parede revestida de vontade
de saciar da fome
na medida da fome
no tamanho da fome
na fome da fome...

pensamentos acordados
estendidos no varal
pregados na sequência das suas ordens
olhos que veem fechados...

minha música quer um "Stradivarius"
violino que chora tocado ao vento
à beira mar ao entardecer...

e o amor que em mim está
quer ouvir a melodia dos sons calados...

poros
pele

sonhos
vida
amanhecer...

Grito longo e silencioso...

sexta-feira, 1 de abril de 2011

AGENDA

Hoje guardei minha agenda antiga...

reescrevi os endereços
os antigos nomes
revi alguns poemas dobrados em suas páginas...

reli os sentimentos ao longo do tempo
escritos em uma agenda permanente...

senti um fundo de tristeza
um adeus profundo
é que algumas lembranças ainda saltavam em letras antigas...

despedi como se despede de um amor
de memórias impregnadas
escritas à tinta a prova de lágrimas...

anotações antigas jogadas fora
outras guardadas por um tempo
outras que vão para a próxima
como se fossem hereditárias
passadas de geração à geração...

ultima olhada
um adeus
e outra que chega...

assim como esquecer alguém
que passou como páginas
que agora ficam esquecidas
em meio à outras tantas folhas...

misturadas ao caos organizado
em uma gaveta escura...