Os que também amam poesia...

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Bagagens

Quero você...

você sintonia
você dissonância
você silêncio...

quero a música do seu disco
lado A e lado B...

quero você com seu embrulhos
sua malas
seus baús...

você doce
você amargo...

você pergunta
você resposta

quero a avidez das suas palavras...

quero você poesia...

você sorriso

você choro
você ficar
você ir...

quero você mar...
você porto...
terra
fogo
água
ar...

quero você montanhas...

quero você chuva

sol

calmaria

tempestade...

quero você refrigério
quero você calor...

você as quatro estações...

quero a nudez da sua alma
sua intimidade
sua intensidade...

quero você inteiro
e fragmentado...

quero você cores

quero você gris...

flor e espinho...

quero você só
quero você dois
quero você nós...

quero só você...


Para você que sabe o que quero...

quero te levar paz guerreando suas guerras...


O canto

O canto canta

no canto da alma no canto

no canto da alma

escondido no canto que canta

canto escondido no profundo do cantos

esquecido no mais canto dos cantos...

e o canto quer sair do canto

no canto quer cantar mas ninguém escuta o canto...

e no grito do canto no canto

um clamor para se ouvir um canto...

no encanto do canto

uma música...

o canto não mais no canto...

e não escondido no canto

canta...

WINTER (VIVALDI FOUR SEASONS)

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Eu

Não sou eu...
somos eu
eu inverno...
eu primavera...
eu verão...
eu outono...
eu estações
eu ciclos...

eu me vendo no reflexo do meu próprio espelho...

eu metáforas...
eu antagonismos...
eu que vive...
eu que respira...
eu que sente...
eu intensa...
eu serena...
eu mistério...
eu sonhos...
eu pensamentos...
eu anseios...
eu devaneios...

eu só
só eu

nas minhas entranhas
na minha alma
nos meus poros
nos meus desejos
nas minhas escolhas
nos meus sentimentos...

eu, amo...
eu, creio...
eu, fico...
eu, vou...
eu, decido...
eu, desespero...
eu, duvido
eu, quero...
eu, espero...

eu dois...
eu eu...
eu nós...

meus eus...

eu, querendo saber...

qual meu eu...

domingo, 4 de julho de 2010

Fruto

À serenidade entrego o meu querer...

quero a suavidade da espera...

a paz da espera...

a espera da espera...

não quero rapidez de tempo

pressa sem expectativa...

quero os processos

quero os ciclos

quero os tempos

o passar das horas...

quero escrever e abrir cartas

suspirar com cartões postais

correr para a caixa do correio no quintal...

não quero digitar

quero escrever...

fotografar e revelar...

quero viajar de trem para ver a paisagem da janela...

caminhar sem pressa

e sorrir para pessoas...

quero pegar fruta no pé...

não quero micro ondas

não quero comida pronta

não quero o instantâneo

o gosto do pronto

o desgosto da falta de preparo...

não quero me perder na pressa de um drive through...

quero fogo à lenha

quero o integral

comer e degustar...

não quero café expresso

quero ferver a água e coá-lo

sentir o cheiro das lembranças da infância...

quero semear

quero ver crescer

quero colher...

quero esperar...

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Passageiro


Passageiro e suas passagens
passagens permanentes
passagens que passam passageiras
seladas nas passagens do passageiro que vai de trem...
de passagem pelas estações de passageiros tão passageiros...
que sentem a falta do passageiro que não passa
de quem senta e espera...
espera a passagem do passageiro que de tanto amar permanece...
e o trem vai...
com seus passageiros...
e seus sentimentos de passagem...
com vontade de trilhos...
na velocidade que leva o passageiro
que deixa a passagem...
que canta a música passageira...
de quem passa...
e deixa saudades...


Alma de Inverno


Minha alma de inverno quer ser aquecida
pelo calor sereno de um amor...
quer ser acariciada pelo ouvir dos seus passos...
e o dizer dos lábios da boca sua...
quer descançar à melodia da sua música
quer sentir o vento que calmo canta ao entardecer...
certeza de que a primavera vem...
e as cores a encherão de poesia...
e a vida sorri nos braços da luz do sol calmo e confiança...
cheio de promessas de flores...
e minha alma de inverno espera...