Os que também amam poesia...

sexta-feira, 27 de maio de 2011

VIDA

A vida não para...
ainda que estagnada
nas esquinas dos rios
nos caminhos do mar
correnteza de águas...

hoje é o futuro do ontem
de páginas viradas
o amanhã é o sonho do hoje
que não reconhece sua identidade
é a única certeza de tudo...

a vida não para...
passam os postes
e as luzes das cidades
as árvores nas suas sequências
calma sem paciência
do interior dos mundos e de nós...

o dia chega
e já traz a noite
a noite que insiste em ficar
e o dia que implora em permanecer...


os sons do silêncio
e da alma
a música calada dos meus pensamentos...

sinto a tarde
e as cores do ocaso
crepúsculo no meu coração que espera...

a essência do amor
que exala de tudo que sou...
que tenho...
que acredito...
que vivo...
que espero...
que preciso...
que sinto...

a vida não para...

e ainda não entendo porque parece tão inerte...

domingo, 15 de maio de 2011

DESTINO

Onde estava que não me vi?
Qual trem eu peguei?
Seus vagões mostram o tempo e o lugar...

em qual estação despedir?
Passei do lugar ou devo descer no final?
Minhas bagagens estão empoeiradas de destino...

os que ficam me olham
os que vão querem de mim as cores...

as luzes se apagam
e os trilhos imploram descanso...

as cabines fechadas
seus cantos silenciosos
e a música que o trem canta é harmonia e dissonância
silêncio em melodia...

e eu aqui...

fecho os olhos e me vejo...

ainda sem saber aonde descer...