Os que também amam poesia...

terça-feira, 13 de setembro de 2011

EFÊMERO

Se eu gritar para dentro de mim mesma
minhas entranhas me ouvirão?
E o que sinto decifrará as notas dissonantes do meu choro,
na orquestra dos sons calados?
O maestro desesperado para ouvir os acordes
e o acordar da minha alma sem sono...

Qual resposta dar ao meu coração?
Quantos discursos ele ainda suporta?
Quanta dor ele ainda pode sentir?
Quem vai sentado ao seu lado nesta viagem?

O chão que se abre sem amparo...

a estrada que não tem fim...

saudades do oásis neste deserto de águas...

Que mão segura a minha?

Quais lábios tocam os meus?

O espelho como disco arranhado
me lembra as horas...
os minutos...
os segundos...

nem o efêmero é efêmero diante da eternidade do meu querer...

minha "Pasárgada" é meu quarto
a parede que separa meus desejos...

soprei meus sentimentos ao vento...

pode ser que eles ainda voltem...

fragmentados...

trazendo as cores da sua luz...

11 comentários:

  1. Cris uns dos poemas mais bonito que já li de sua autoria, cada letra, silaba esparrama a sua alma sequiosa de sentir... Belo, belo querida, uns dos melhores gritos. Grite querida, grite seus versos sempre, seus 123 seguidores agradecem. Bjão !!!

    ResponderExcluir
  2. aaaaaaaaain, que poema lindo!
    Vi seu comentário em um texto meu, e vim aqui, prestigiar suas escritas. :)

    ResponderExcluir
  3. Olá Cris! vim retribuir e agradecer a visita, tbm estou te seguindo. Bjks♥

    ResponderExcluir
  4. Vir ao seu blog foi um passeio e tanto, voltarei mais vezes. Reunir a música leva tempo, mas ficará bonita de novo. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  5. Olá, parabéns pelo lindo blog, já estou seguindo e aproveito para convidá-la à participar do meu blog. Me add tb no facebook, estou como Bolo Doce Bolo Buffet. Bjs e sucesso!!!

    ResponderExcluir
  6. Olá!!

    Venho deixar o meu beijo e desejar a você um ótimo fim de semana!

    Estou esperando por você no Alma!!!

    ResponderExcluir
  7. Ai Cris...que lindo!!!
    Mais uma vez me emocionei ao ler sua obra!
    Eu amo vc Cris!!!
    Deus continue te abençoando com esse poder de traduzir sentimentos e pensamentos tão brilhantemente!
    Mil beijos, da sua amiga...Ju.

    ResponderExcluir
  8. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Azues. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Ho letto una bella poesia, complimenti!! un abbraccio...ciao

    ResponderExcluir

Muito obrigada por comentar.